sexta-feira, 16 de abril de 2010

Algo sobre o cinema de bordas

Texto curatorial da mostra Cinema de Bordas 2

O cinema de bordas engloba um contingente de produções materializado por força do "desejo de cinema" que assalta um tipo particular de realizador. São filmes de baixo orçamento, independentes, quase artesanais e caseiros, que reutilizam - com bom humor e sem o menor constrangimento - aspectos ligados aos gêneros canônicos de Hollywood - o horror, a ficção-científica, o faroeste, o musical.

Não são poucas as questões em torno dessa ocupação. Como entender a paixão que leva esses realizadores, muitos deles autodidatas, a investir financeiramente muito do que têm - o que, na maior parte das vezes, é pouco - em trabalhos que dificilmente serão exibidos fora do local onde foram produzidos? Como medir a garra da qual eles dispõem para fazer um filme, ainda que com poucos recursos e equipamentos quase sempre mambembes?

O bom é que de tantas precariedades, alteridades e adversidades, resulta um montante exuberante e prolífico que se movimenta em um universo paralelo de produção e de exibição. Vem daí a graça, a leveza e a distinção deste lote de filmes, deliciosamente estranhos e surpreendentemente criativos, que integram esta segunda edição da mostra Cinema de Bordas.

Bernadette Lyra e Gelson Santana


Leia também:
Nem centro, nem periferia: o cinema de bordas
(por Bárbara Heller)
O cinema de bordas: horror, humor e sexo no cinema braisleiro (por Bernadette Lyra e Gelson Santana)
Caçadores de filmes invisíveis
(por Alfredo Suppia)

Um comentário:

  1. Anônimo17.4.10

    gostei disso "caçadores de filmes invisiveis". bjs! Lu

    ResponderExcluir