terça-feira, 18 de maio de 2010

Incrível! Fantástico! Extraordinário!

Se, na literatura de horror, um dos formatos mais comuns é do conto, os filmes em pequenos episódios são, também, bastante recorrentes.

Os primeiros veículos para esses pequenos filmes foram os seriados cinematográficos dos anos 1930, retomados pela televisão (sobretudo a norte-americana) em séries como Além da Imaginação (Twilight Zone, 1959-1964); Galeria do Terror (Night Gallery, 1969-1973); Hitchcock Apresenta (Hitchcock Presents, 1955 e retomada em 1985), que geraram frutos cinematográficos importantes.

No Brasil, foram realizados poucos filmes em episódios exclusivamente de horror, como Trilogia de terror e Duas estranhas mulheres.

Outro foi o longa baseado no mais eletrizante programa de rádio d’O Almirante (confira texto no blog Cine Monstro), produzido e dirigido por Adolpho Chladler: Incrível! Fantástico! Extraordinário! (1969). O mesmo diretor realizou outro filme em episódios em moldes parecidos, O impossível acontece (1970), mas não usou apenas histórias de horror, aproveitando também o gênero de crime.

Dentro do contexto desta pesquisa, Chadler merece atenção especial. O ator, produtor e diretor carioca, nascido em 1931, viveu nos EUA entre 1963 e 1966 (depois de trabalhar por algum tempo na televisão brasileira) e retornou da América disposto a fazer cinema comercial de gênero no Brasil – empreitada na qual foi relativamente bem-sucedido.

Entre seus filmes, além dos já citados, pode-se também destacar o thriller de espionagem Os carrascos estão entre nós (1967), o policial Êxtase dos sádicos (1973) e o western Jerônimo - O herói do Sertão (1971), entre outros.

Quando decidiu realizar filmes baseados nos (então ainda) popularíssimos contos d’O Almirante, o cineasta parece ter-se inspirado diretamente nas experiências do produtor e apresentador Rod Serling na TV americana, repetindo, nos filmes, formato e equipes basicamente televisivos.

Em INCRIVEL! FANTÁSTICO! EXTRAORDINÁRIO!, filme hoje indisponível, foram adaptadas para o cinema quatro histórias que haviam tido grande sucesso quando apresentadas no programa de rádio e publicadas em livro pela revista O Cruzeiro:

- A AJUDA, sobre um homem que atende ao apelo de uma mulher na estrada para salvar seu filho acidentado, mas verifica que ela está morta no carro;

- O SONHO, sobre uma moça que vive num internato e tem sonhos em que prevê a morte de suas colegas e a sua própria – sendo que esta última se confirma no dia previsto;

- A VOLTA, sobre uma mulher aterrorizada pela imagem do marido morto;

- O COVEIRO, sobre um homem que deseja roubar o anel de um rico milionário a quem acabara de enterrar, mas acaba sendo impedido quando o braço do cadáver cai sobre ele, matando-o de susto.

Estreladas por elenco conhecido da televisão (o próprio Chadler, Cyl Farney, Fábio Sabag, Glauce Rocha e outros), o filme optava por mostrar algumas famosas histórias do programa do Almirante, absorvidas pela cultura popular na forma de lendas urbanas que, ainda hoje, são relatadas como verídicas em várias partes do país.

Depois de INCRÍVEL! FANTÁSTICO! EXTRAORDINÁRIO!, Chadler produziria O IMPOSSÍVEL ACONTECE, também organizado em episódios policiais e “de suspense” dirigidos pelo próprio Chadler, por Daniel Filho e por Anselmo Duarte, respectivamente.

De acordo com a descrição do Dicionário de Filmes Brasileiros - Longa metragem (2002), o filme traz as seguintes histórias:

- O drama fantástico O ACIDENTE, de Chadler, que tangencia o horror ao contar a história de um homem que sofre um acidente de avião, é internado por anos, e depois descobre que seu companheiro de hospital nunca havia existido;

- EU, ELA E O OUTRO, de Daniel Filho, comédia criminal sobre uma esposa assassina que arma uma trama para responsabilizar o melhor amigo do marido por sua morte;

- O REIMPLANTE, de Anselmo Duarte, comédia fantástica sobre um homem que tem o órgão sexual extirpado pela esposa, mas acaba sendo “operado” por obra divina.

O elenco e a equipe de O IMPOSSÍVEL ACONTECE eram tão ou mais estrelados que os do filme anterior. Pois, além dos três diretores/atores renomados, atuando também diante das câmeras, o filme contava com atores como Rubens de Falco, Glória Menezes, Wilsa Carla, Cyl Farney e Tião Macalé.

Dos três curtas, tive acesso apenas ao segundo, EU, ELA E O OUTRO, estrelado por Daniel Filho, Gloria Menezes e Rubens de Falco. Trata-se de um filme em preto e branco realizado com competência narrativa e técnica, bastante próximo à linguagem televisiva.

Infelizmente, os trabalhos de Chadler pertencem ao significativo grupo de filmes indisponíveis citados nesta pesquisa. Mas, nos dois casos, certamente, trata-se de importantes exemplares de um cinema popular e de mistério, que também mereceriam ser recuperados em estudos futuros, para examinar-se tanto a relação entre o cinema e a televisão quanto a questão do gênero no cinema brasileiro – além, é claro, de resgatar a memória de um importante realizador do cinema nacional.

Leia texto sobre o programa do Almirante no blog Cine Monstro
Ficha técnica completa da Cinemateca Brasileira

15 comentários:

  1. Olá Laura. Sempre visito seu blog mas nunca comento, mas dessa vez o título do post me chamou atenção. Não estou certo, mas na extinta Rede Manchete não passava um programa com o mesmo nome? E também era com histórias de terror.

    ResponderExcluir
  2. olá, Bruno! seja bem vindo!

    sim, a Manchete transformou a série de rádio em série de TV. o programa Fantástico, da Globo, também fez isso no começo dos anos 80.

    aliás, li em algum lugar que o nome "Fantástico" tem relação direta com a série do Almirante.

    ResponderExcluir
  3. Realmente, incrível, fantástica e extraordinária coincidência, Laura! Hehehe... Eu queria muito ver esse longa (outro perdido para sempre, pelo jeito), mas posso garantir que a série de TV era muito fraca, no padrão das novelas da Manchete, com o mesmo tipo de dramaturgia.

    ResponderExcluir
  4. eu lembro bem mais da série do Fantástico. perdi muitas noites de sono por causa daquele episódio em que (se não me engano) o Antonio Fagundes era parado pela Joana Fomm na estrada por causa de um acidente, aí ele ia ver a pessoa acidentada no carro e era ela própria, morta. só de escrever isso eu já fico arrepiada, pois lembro do que senti... eu devia ter uns seis anos de idade!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Se não me engano era o Mário Lago quem apresentava o programa na Globo. Tenho muita vontade de rever aquele material. Lembro somente de um episódio estrelado pela Maitê Proênça. Ela estava no hospital, desenganada pelos médicos. Pediu ao além que lhe enviasse um sinal...deveria receber rosas brancas se fosse viver e vermelhas se a morte fosse inevitável. Comentou o pedido com seus pais (não me lembro se o pai era o Cláudio Correa e Castro). No dia seguinte os velhos receberam rosas vermelhas de uma mulher com véu negro que se apresentou com um nome que deveria ser dito à moça. Os pais, com a intenção de animar a enferma mentiram dizendo terem recebido rosas brancas. A filha, super-feliz, quis saber quem havia trazido tão alegre notícia. Ao saber o nome virou os olhos e disse algo do tipo "mas essa fulana morreu fazem mais de 5 anos". E morreu na hora. Que meda !!
      Sobre o episódio do Fagundes, a Manchete regravou com o Raul Gazola (não tenho certeza) e com a Cassia Kiss.
      Gostaria de divulgar o meu blog, dedicado à Cinema, Contos (quase todos de minha autoria) e Quadrinhos...shockante.blogspot.com

      Excluir
  5. Também lembro disso, Laura, mas sem chance de eu lembrar quem eram os atores!

    O pior que qualquer coisa do FANTÁSTICO me dava medo, pois a cada semana eles apresentavam uma reportagem convincente de como e porque o mundo ia acabar. Lembro, por exemplo, o estardalhaço que fizeram em cima daquele telefilme THE DAY AFTER, e era meramente um filme, mas eles trataram como se fosse uma reportagem científica, algo muito muito sério. E eu, com uns 12 anos, tive certeza de que o mundo ia acabar uma semana depois, nem tinha como duvidar! Mas, claro, uma semana depois o mundo ainda estava lá... assim como o FANTÁSTICO, com mais uma reportagem de como o mundo iria acabar...!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Carlos, eu ficava com medo até das reportagens sobre doenças apresentadas pelo Hélio Costa. Do menino da bolha de plástico (virou um filme com o Travolta)também. Lembra do SkyLab ? Aquela nave americana que poderia cair em nossas cabeças ?

      Excluir
  6. Verdade, as da Manchete eram fracas. Me lembro de uma que era numa hospedaria (devem ter usado as mesmas locações da Xica da Silva) e tinha um ator com uma voz rouca que já vi em diversos lugares, mas não sei o nome dele.

    ResponderExcluir
  7. Trompczynski20.5.10

    Olá, Laura. Meu nome é Luiz Henrique Trompczynski e sou de Terra Rica/PR. Maravilhoso Blog que sempre visito. POr acaaso vc. já assistiu o "Cara de Fogo" ? , raro filme de assombração da década 50, que tive a felicidade de adquirir uma cópia, dirigido pelo Galileu Garcia. Também amo o cinema brasileiro de horror (e os da Boca ambém...) e possuo acervo considerável. A "Reencarnação do Sexo" com a Patricia Sclavi é um dos filmes mais apavoranes que já assisti, apesar da precariedade da produção (experimente assistir a noite e sozinho... MInha mulher ficou sem dormir...). Nós, brasileiros, não somos ligados em vampiros, lobisomens e ouras bobagens européias... Mas fale em espíritos, Exus, macumba e o nego fica sem dormir. E um dos melhores especiais de terror foi a adaptação da "Mão do Macaco" (foi esse o nome) da Globo na década de 80, com o Armando Bogus fazendo o pai, a Cacilda Lanuza a mãe. Marcelo Picchi o filho e Mario LAgo um fantasma simplesmente apavorante. Até hoje procuro uma cópia daquele clássico... Misturaram a história do Jacobs com macumba, escrava Anastácia, espíritos vingativos e o resulado foi um especial absoluamente vigoroso e de dar calafrios. Também sem esquecer da "Praga", que tenho somente em HQ, mas é um filme do Zé do Caixão que daria sei lá o que para assistir...
    Laura, me desculpe perguntar, mas a sua tese está disponível para leitura ? è muito bom a gente encontrar na internet pessoas que tem os mesmos gostos...
    Muito obrigado pela atenção e por suas informações sempre bacanas.
    trompczynski@uol.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Esse tal "Cara de Fogo" tem em VHS, pelo menos ? E o "Reencarnação do Sexo" ?
      Fiquei super-curioso !
      Como vocês gostam de terror, recomendo "The Last Broadcast". Não saiu em DVD mas dá para baixar. Dizem que "A Bruxa de Blair" foi plágio deste.

      Excluir
  8. Anônimo20.5.10

    Olá, Laura. Meu nome é Luiz Henrique Trompczynski e sou de Terra Rica/PR. Maravilhoso Blog que sempre visito.O livro do Almirante (Cruzeiro - 1a edição) comprei a peso de ouro na Estante Virtual e lembro que minha avó adorava o programa e sempre falava dele pra mim... POr acaaso vc. já assistiu o "Cara de Fogo" ? , raro filme de assombração da década 50, que tive a felicidade de adquirir uma cópia, dirigido pelo Galileu Garcia. Também amo o cinema brasileiro de horror (e os da Boca ambém...) e possuo acervo considerável. A "Reencarnação do Sexo" com a Patricia Sclavi é um dos filmes mais apavoranes que já assisti, apesar da precariedade da produção (experimente assistir a noite e sozinho... MInha mulher ficou sem dormir...). Nós, brasileiros, não somos ligados em vampiros, lobisomens e ouras bobagens européias... Mas fale em espíritos, Exus, macumba e o nego fica sem dormir. E um dos melhores especiais de terror foi a adaptação da "Mão do Macaco" (foi esse o nome) da Globo na década de 80, com o Armando Bogus fazendo o pai, a Cacilda Lanuza a mãe. Marcelo Picchi o filho e Mario LAgo um fantasma simplesmente apavorante. Até hoje procuro uma cópia daquele clássico... Misturaram a história do Jacobs com macumba, escrava Anastácia, espíritos vingativos e o resulado foi um especial absoluamente vigoroso e de dar calafrios. Também sem esquecer da "Praga", que tenho somente em HQ, mas é um filme do Zé do Caixão que daria sei lá o que para assistir...
    Laura, me desculpe perguntar, mas a sua tese está disponível para leitura ? è muito bom a gente encontrar na internet pessoas que tem os mesmos gostos...
    Muito obrigado pela atenção e por suas informações sempre bacanas.
    trompczynski@uol.com.br

    ResponderExcluir
  9. Olá, Luiz! Muito bom saber que temos mais fãs do cinema de horror brasileiro espalhados por aí!

    Já assisti ao Cara de Fogo, sim, é um filme muito divertido. Aguarde post sobre ele!

    Do episódio da Globo eu não lembro, mas muitas pessoas falam nele como um clássico!

    O link para a tese está disponível no próprio blog. Na barra lateral direita, na seção "Sobre o Blog", no link "A tese". Esse link envia você direto para a página da Unicamp na qual é possível fazer o dowload da tese em .pdf

    seja muito bem vindo por aqui! abraços!

    ResponderExcluir
  10. Oi! Eu sou mais um que viu esse especial da MÃO DO MACACO na Globo (não confundir com o episódio inicial de INCRÍVEL...). Lembro que o rapaz morre triturado pela hélice de um pequeno avião que estava estacionado na pista, prestes a decolar. Isso faz com que se torne ainda mais horrorífica sua reaparição no final, quando a mãe pede para o filho voltar à vida! Brrrrr...

    ResponderExcluir
  11. Ola, meu nome é Danilo, e sou colecionador da Wilza Carla. adorei saber um pouco mais do filme O Impossível Acontece (3 epsódio - "O Reimplante") onde a Wilza tem uma participação. Procuro por este filme já faz tanto tempo. Poxa, alguem podia lançar em DVD né ??? ou pelo menos passar na TV, que o resto a gente se encarrega de fazer . . . . .hhhehehehe. Se tiver alguma informação que possa me ajudar, eu agradeço

    ResponderExcluir
  12. Anônimo29.12.10

    Oi,Laura! Muito legal isso aqui,hein? Meu nome é Rosana,sou do RJ e adoro coisas do gênero! Você sabe onde posso encontrar em vídeo esses episódios do Fantástico? Me lembro de vários,morria de medo,ficava sem dormir mas não perdia um,rs!Já procurei em vários lugares,fontes diversas e nada!
    Grande beijo,
    Rosana Cunha
    rovcunha@gmail.com

    ResponderExcluir