segunda-feira, 24 de maio de 2010

Seduzidas pelo Demônio


Um dos primeiros filmes brasileiros a explorar cenas de horror sobrenatural com vítimas do sexo feminino foi SEDUZIDAS PELO DEMÔNIO (assista a um trecho impagável), realizado, a depender do registro, em 1975 ou 1977, pelo diretor/produtor/roteirista/montador/cinegrafista paulista Raffaelle Rossi (1938-2007).

Seu filme se propunha a ser uma espécie de “continuação-remake” de outro, realizado dez anos antes: O homem lobo (filmado nos anos 1960 e lançado em 1971), feito no interior de São Paulo.

No original dos anos 1960, tratava-se de uma história de Lobisomem em que um jovem adotado, Roberto, trancado pela família em um internato de rapazes, se transforma num homem-lobo que ataca pessoas e acaba assassinando a própria mãe adotiva, mas fazendo com que todas as suspeitas recaiam sobre seu pai e sua jovem amante.

Na continuação proposta em SEDUZIDAS PELO DEMÔNIO, que se passa no julgamento do pai, a história é re-contada em flashback, mas, então o menino Roberto não é mais um Lobisomem, e sim um garoto possuído pelo demônio, numa evidente apropriação do filme O EXORCISTA.

Agora, o menino Roberto é encontrado, ainda bebê, pelos pais adotivos, quando está prestes a ser sacrificado por uma seita satânica que se reúne numa floresta na cidade de Gramado, no Rio Grande do Sul. Depois de salvo, o bebê é levado para São Paulo, onde começa a manifestar comportamentos incomuns que levam seus pais a desconfiarem de que ele esteja possuído.

Inicia-se uma longa peregrinação a consultórios médicos e centros espíritas, chegando-se até ao escritório Padre Quevedo, sem que se encontre uma solução. Então, quando o menino atinge a idade adulta, seus amigos de internato descobrem, após uma terrível matança, que ele está transformado num assassino de mulheres. E o pior: tem lapsos de memória que fazem com que não tenha a menor idéia ou controle disso.

A solução acaba vindo de seu pai, que, após ser absolvido e internar o filho num sanatório, dá um tiro nele dentro da capela do hospício. Com isso, mata o Demônio e recupera o filho, que sobrevive ao tiro milagrosamente.

Estrelado por um elenco pouco expressivo (Ivete Bonfá, Roberto César e Cassiano Ricardo) e repleto de atuações fraquíssimas, SEDUZIDAS PELO DEMÔNIO tinha vários problemas que o transformaram num dos mais significativos exemplos do humor involuntário no cinema brasileiro. Como descrevia, em 1977, o crítico Luciano Ramos, do Jornal da Tarde, no texto Pretensões de Horror, Caídas no Ridículo:

"Estamos numa sala que, mesmo lembrando uma garagem, parece ser um tribunal. A cena é ambientada nos dias de hoje, o que não impede o juiz e advogados de vestirem togas agora só vistas em algumas cerimônias de colação de grau. (...) Satanás comparece, com roupa de malha negra, capa de cetim roxo e chifres de gesso (...) O ridículo atinge o ápice quando o filme resolve se mostrar educativo e tenta uma explicação científica para a possessão demoníaca. Assim, convida o Padre Quevedo, que, desavisado, comparece em pessoa, ministrando uma aula de parapsicologia que funciona como castigo extra para quem ainda estiver no cinema."

De fato, as falhas do filme são bastante primárias, com situações estapafúrdias como a troca de réu durante o julgamento, a inexplicável mudança de personalidade da mãe adotiva de Roberto e, sobretudo, uma das mais absurdas improvisações da narrativa já vistas para justificar o roubo de seqüências de filmes alheios: possivelmente para fechar a duração do filme para longa-metragem, Rossi usou cenas inteiras e não creditadas do filme de horror alemão O sangue das virgens, também conhecido como PASSADO TENEBROSO (DIE SCHLANGENGRUBE UND DAS PENDEL, 1967), de Harald Reinl, sobre o Conde Regula (interpretado por Christopher Lee), que mata mulheres... no século XVI.

(a identificação do filme original deve ser creditada a Carlos Primati, do blog Cine Monstro).

Então, para justificar os figurinos antiqüíssimos e o transporte de carruagem usado pelos atores nas seqüências roubadas de PASSADO TENEBROSO, Rossi criou a idéia de um “tour” temático que os pais adotivos de Ricardo teriam feito na cidade de Gramado, na serra gaúcha, passeando em algum tipo de “trem fantasma na floresta”.

O filme original não foi reconhecido por Luciano Ramos, mas ele percebeu a artimanha de Rossi:

"Durante todo o trajeto [dos personagens em Gramado], cenas do interior da carruagem, produzidas pelo argumentista, roteirista, diretor de fotografia, montador, editor, diretor e produtor Raffaelle Rossi - justapõem-se a seqüências literalmente roubadas de um filme de horror europeu, provavelmente inglês."

Hoje, é impossível saber como Rossi (falecido em 2007, vítima do mal de Alzheimer) teve acesso à cópia do filme alemão, mas o fato é que poucas vezes uma estratégia desse tipo foi tão indiscreta quanto em SEDUZIDAS PELO DEMÔNIO.

De qualquer forma, e apesar dos inegáveis problemas, o filme pelo menos pode receber o título de primeiro ghoulie realizado no Brasil, com cenas canhestras de matanças de mulheres e de possessões demoníacas estreladas pelo ator Roberto César – coadjuvante alçado ao papel de protagonista, naquela que foi possivelmente a sua pior atuação.

Leia mais:
Trecho do filme no Youtube
Ficha técnica completa da Cinemateca Brasileira do filme SEDUZIDAS PELO DEMÔNIO, de Raffaele Rossi (1975)

14 comentários:

  1. Esses caras da Boca eram campeões no chamado recorta e cola de pedaços de filmes deles e de outros. Eles vivem até hoje fazendo isso. Eles tinham fácil acesso aos caras que importava filmes, por isso o Raffaele deve ter tido acesso a esses filmes. Eu gostei do "Seduzidas" porque é realmente muito trash. Tem outros filmes do Raffaele que são hilários como "Roberta" e "Pura Como um Anjo...Será Virgem?". Só uma coisa: a Ivete Bonfá era uma grande atriz e tem bons trabalhos. Não dá pra julgar ela por este filme.

    Matheus Trunk
    www.violaosardinhaepao.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. oi, Matheus! não só o pessoal da Boca: o Roger Corman também adorava roubar pedaços de filmes do leste europeu... mas o Raffaele Rossi conseguiu fazer isso de um jeito tão deslavado que acho que merece crédito especial.

    outro crédito que ele merece foi o de ter lançado no cinema a dupla Chitãozinho e Xororó, ainda adolescentes, em O HOMEM LOBO. mas isso eu comento melhor depois.

    e você tem razão: o texto ficou mal colocado quanto à Ivete Bonfá.

    abraços!

    ResponderExcluir
  3. Anônimo25.5.10

    muito engraçado o video! bjs! Lu

    ResponderExcluir
  4. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  5. Laura, no caso do Corman, ele comprava os filmes (geralmente russos ou iugoslavos), ou seja, pagava por eles, e, como não eram adequados ao mercado estadunidense, ele remontava e inseria cenas novas (foi assim que ele deu emprego para pessoas como Peter Bogdanovich, Curtis Harington e Francis Ford Coppola). Em seu livro autobiográfico, ele admite que "retalhou" filmes ótimos e os transformou em risíveis produções de segunda categoria, especialmente no caso das superproduções russas de ficção científica.

    ResponderExcluir
  6. bem lembrado, Primati! nesse caso, realmente é difícil comparar. mas digamos que o Rossi deve ter sido um "precursor" do remix da era digital... hehehe

    ResponderExcluir
  7. Anônimo31.5.10

    Será que cheguei muito tarde na conversa? Desculpem-me, estava viajando. Laura, em 1978 um filme do Tony Vieira vai chamar a atenção de mais de um crítico (Jean Claude Bernardet é o único deles que eu me lembro agora, assim, de cabeça) por uma desses "recorta-e-cola" não creditados: uma sequencia com cavalos despencando por um desfiladeiro, copiada de algum western spaghetti e inserida em OS VIOLENTADORES - infelizmente, nenhum Primati do western italiano conseguiu ainda identificar de qual filme a cena foi surrupiada. Sobre como o Rossi conseguiu a cena de PASSADO TENEBROSO, essa é fácil: o produtor do filme, Cassiano Esteves, era dono da Marte Filmes, distribuidora que despejava pás de westerns spaghettis nos cinemas daqui. Ou seja, era um homem que tinha contatos com produtoras europeias, e não me surpreenderia em nada se descobrissemos que PASSADO TENEBROSO foi distribuído aqui pela Marte Filmes. Aliás, dizem que quando exibidores chegavam ao escritório de Cassiano Esteves e ele não tinha nenhum para pronta entrega, sempre empurrava algum dos westerns feijoada que ele produzia (um dos primeiros deles, por sinal, dirigido por Rossi: PEDRO CANHOTO, O VINGADOR ERÓTICO). É isso.

    ResponderExcluir
  8. o anônimo é o Rodrigo ou o Heráclito?? hehe

    nossa, MUITO OBRIGADA por esclarecer essa história genial do Cassiano Esteves. eu realmente não sabia. será que esse cara ainda é vivo, aliás?

    abraços!

    ResponderExcluir
  9. Aposto que é o Rodrigo, hehehe. Estou tentando descobrir essas informações que o "anônimo" sugeriu como probabilidades disso tudo.

    ResponderExcluir
  10. Opa. Muito tempo longe dos blogs. Anônimo acima = Rodrigo Pereira, sim. Abraços, RP

    ResponderExcluir
  11. Laura e Rodrigo: bingo! SANGUE DAS VIRGENS estreou no Brasil em 21 de abril de 1972, no Cine Rio Branco, de São Paulo, distribuído pela Marte Filmes. O Cassiano Esteves morreu há bastante tempo, segundo consta. O Rodrigo acertou em cheio.

    Conversei com o Heráclito sobre a cena de OS VIOLENTADORES e ele disse não ter visto esse filme, mas como uma cena de cavalos despencando num desfiladeiro não é algo comum, ele provavelmente lembraria caso tivesse visto em algum filme. Porém, disse que não conhece essa cena e que talvez nem seja de um spaghetti-western. Esse continua sendo um mistério.

    ResponderExcluir
  12. Olá a todos. Primati, valeu pela apuração aí. Alguém me disse, tempos atrás, que Cassiano Esteves ainda vivia, mas bastante mal de saúde e de grana. E que morava na Paulista. Não lembro quem disse, nem se tinha condição ou não de saber o que dizia.
    Sobre OS VIOLENTADORES: eu também não vi o filme, ele é um dos mais raros do Tony Vieira, não há cópias circulando por aí. Então, não dá para saber direito como seria essa cena (nem se era exatamente de cavalos num desfiladeiro). Mas tenho a intuição de que deveria ser de um western spaghetti, sim. Acho que esses "pirateadores" de cenas alheias se sentiam menos vigiados com relação aos filmes europeus. Copiar um western hollywoodiano... sei lá. E tem outra coisa que me faz pensar que é mais provável se tratar de um western spaghetti: os figurinos das poucas fotos que há de OS VIOLENTADORES. São figurinos típicos de western spaghetti mesmo. Como nenhuma das críticas faz menção a tratar-se de um flashback ou algo assim, ainda aposto num spaghetti mesmo. Só o tempo dirá. Ou não. Abraços, RP

    ResponderExcluir
  13. Cassiano Ricardo Esteves3.9.10

    Olá . . . meu nome é Cassiano Ricardo Esteves. Sou filho de Cassiano Esteves e o intérprete da impagável cena da levitação do Padre Quevedo . . . rs.
    Meu pai está vivo, sua saúde é de ferro, apesar dele ter problemas nas pernas e na bacia, que dificultam sua locomoção.
    para os que apreciam, vou dar uma notícia: acabei de negociar com o Canal Brazil um pacote de 17 filmes de nosso acervo, que irão passar pelos próximos 5 anos, entre eles, Seduzidas. Devo estar recebendo as betas telecinadas em 2 meses e então quero negociar com alguma distribuidora de DVDs . . . caso saibam de alguma, por favor me indiquem pelo email: revistaempauta@yahoo.com.br.
    Abraço

    ResponderExcluir
  14. Peraí...é o pior filme já assistido por mim em 47 anos...que vexame!!Patético, infantil, bizarro, efeitos especiais de pré escola(sangue vermelho vermelho!)e o pior,A TRLHA SONORA, coisa horrorosa.Parece que esse lixo de filme foi feito por alunos de quinta série.Por essas e por outras que o Oscar foi 2x a Argentina e nunca nos visitou.

    ResponderExcluir