sexta-feira, 18 de junho de 2010

Como consolar viúvas



Em meados dos anos 1970, Mojica se encontrava praticamente na miséria. Para sobreviver, aceitou, entre outras coisas, dirigir um filme sob encomenda, como já fizera anteriormente. O título desta vez era COMO CONSOLAR VIÚVAS (1976), uma produção de seu antigo parceiro,o produtor Antonio Augusto Cervantes.

Escrito por Georgina Duarte, COMO CONSOLAR VIÚVAS era uma produção barata, feita com elenco praticamente desconhecido, e numa rapidez que faria a fotografia de Giorgio Attili e a decupagem de Mojica desaparecerem entre as imperfeições.

Na história, Aquiles (Vic Barone), milionário falido, lê num jornal que os três genros de um homem muito rico morreram num acidente de avião. Então, ele faz um plano: apresenta-se a cada uma das viúvas como se fosse o fantasma de seus maridos, pedindo que elas dêem dinheiro a um mendigo (na verdade, o seu amigo e fiel mordomo, Vitorio). As três, reclusas por um pai muito severo, cedem ao pedido dos “fantasmas”, mas Aquiles fica preso ao fascínio das viúvas, e acaba por engravidá-las.

O médico da família aconselha o pai a chamar um exorcista, o Padre Levedo (numa sátira do famoso Padre Quevedo, que então já se notabilizava no Brasil por desmascarar fenômenos tidos como paranormais). Porém, quando o religioso confirma tratar-se de uma possessão demoníaca, o marido de uma das viúvas, que sobrevivera ao acidente, chega em casa de surpresa e acaba com a farsa. Então, Aquiles é desmascarado e barbaramente torturado por chicotes invisíveis – manipulados, aparentemente, pelos dois maridos mortos, que já haviam aprontando algumas surpresas para o impostor em seus encontros com as viúvas.

Apesar de ser um filme de encomenda, que Mojica preferiu assinar sob o pseudônimo de J. Avelar, COMO CONSOLAR VIÚVAS surpreendente ao revelar marca de seu diretor em algumas passagens.

Numa delas, um vibrador voador, movido por um dos maridos mortos, persegue um perplexo Aquiles; noutra, as mesmas mãos invisíveis colocam um laxante na sua bebida. Pouco depois, quando a tia das moças descobre sua história de gravidez de fantasmas, tranca-as no quarto e diz uma frase que denuncia a autoria do filme: “Entrem, alunazinhas do Zé do Caixão. Este filme de terror está ficando complicado”.

Mas é no final da narrativa que o estilo de Mojica se revela com mais nitidez: quando Aquiles é torturado a chicotadas, o grau de violência é absolutamente desproporcional (pelo menos para um filme que se apresentava como uma comédia leve), e, como quase sempre acontece nos filmes de Mojica, o ato moralizador da história é perpetrado pelo elemento sobrenatural.

Mesmo concebido como um filme pequeno, COMO CONSOLAR VIÚVAS fez um bom dinheiro e enriqueceu Augusto Cervantes. Mojica, porém, continuaria na miséria...

Saiba mais:

Nenhum comentário:

Postar um comentário